quinta-feira, 29 de julho de 2010

"Amante de Sonho" de Sherrilyn Kenyon













Este livro é o primeiro volume da saga "Predador da Noite".

Grace Alexander, uma bonita terapeuta sexual de Nova Orleães, julgava estar destinada a uma vida sem paixão. Até ao dia em que a amiga Selena a convence de que, por artes mágicas, poderá convocar um escravo de amor durante um mês.
Certa de que a magia da amiga irá falhar, Grace deixa-se levar pela aparente brincadeira…

“Caro leitor,
Estar preso num quarto com uma mulher é fabuloso.Estar preso em centenas de quartos ao longo de dois mil anos não o é de todo. E estar amaldiçoado dentro de um livro como escravo de amor para a eternidade, arruína qualquer guerreiro espartano.Como escravo de amor, sei tudo sobre as mulheres. Como tocá-las, saboreá-las e, acima de tudo, como dar-lhes prazer. Mas quando fui convocado para satisfazer as fantasias sexuais de Grace Alexander, encontrei a primeira mulher na história que me viu como um homem com um passado atormentado. Só ela se preocupou em levar-me para fora do quarto e mostrar-me o mundo. Ensinou-me a amar de novo. Mas não nasci para conhecer o amor. Fui amaldiçoado para caminhar sozinho pela eternidade. Como general, aceitara há muito a minha sentença. No entanto, agora encontrara Grace – a única coisa sem a qual o meu coração não consegue sobreviver.
Poderá o seu amor curar as minhas feridas e quebrar uma maldição milenar?”
Julian da Macedónia
____________________________________
Parti para a leitura deste livro sem qualquer tipo de expectativa até porque não o comprei de propósito pois foi um livro de oferta que vinha com "O Recife" de Nora Roberts. Mas bem, de facto, este livro surpreendeu-me, porque o achei essencialmente divertido. Não foi a sensualidade, o romantismo ou o paranormal que me consquistaram, mas sim os laivos de humor que perpassam toda a história, tornando a leitura, acima de tudo, divertida.
Neste livro temos de tudo: maldições, conflitos e mal-entendidos, sexo, sensualidade, heróis e deuses da Antiguidade, passado, presente... uma data de coisas que se poderiam tornar confusas, caso a história não estivesse tão bem contada.
A autora surpreendeu-me com a sua escrita fresca, fluída e desempoeirada, que nos permite umas boas horas de completo alheamento da realidade ao mergulharmos nestas páginas.
Trata-se de um livro bem escrito, bem estruturado e com toques de humor muito bem conseguidos. Apesar disso, só irei ler os volumes seguintes se houver oportunidade para tal, pois a escrita de Sherrilyn é uma escrita que acaba por "enjoar", digamos assim.
Sayounara.

4 comentários:

gisela disse...

estou a ler: " o pacto da jodie picoult, tou a adorar!

Filipa disse...

Olá :)
Será que podias publicar alguma coisa sobre o Memorial do Convento?
*

Filipa disse...

Eu ando a ler tudo menos aquilo, é que não dá vontade nenhuma de ler.

Filipa disse...

Comprei hoje Ética para um jovem porque o vi aqui no blog e fiquei curiosa :)